Jornal Virtual de Santo Antônio do Aventureiro

Usina Hidrelétrica de Simplício

Posted on: 12 de novembro de 2009

 
 
 Obra da hidrelétrica de Simplício realiza segunda etapa do desvio do rioFURNAS e o Consórcio Construtor Simplício acabam de realizar o desvio do rio Paraíba do Sul que, a partir de agora, passará pela estrutura do vertedouro da Usina Hidrelétrica de Anta. O empreendimento é integrante do Aproveitamento Hidrelétrico (AHE) de Simplício, que está sendo construído por FURNAS no rio Paraíba do Sul, na divisa dos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais.Essa manobra permitirá a conclusão da barragem de 29,5 m de altura e 260 m de extensão, que será construída com a tecnologia de Concreto Compactado com Rolo (CCR), mais rápida e econômica, pois reduz em 50% o consumo de cimento por metro cúbico de concreto. Cumprida essa etapa, o próximo passo será o enchimento do reservatório, a partir de 1º. de outubro de 2010, e a operação da primeira máquina, prevista para dezembro do mesmo ano.Integrante do Programa de Aceleração do Crescimento, o AHE Simplício terá capacidade instalada de 333,7 MW, energia suficiente para abastecer 800 mil habitantes. Com investimentos de R$ 2,2 bilhões de recursos de FURNAS e financiamento do BNDES, o empreendimento irá gerar, até sua conclusão, 14 mil empregos diretos e indiretos. 

Receita de 14,5 milhões

Desde que começou a ser construída, em janeiro de 2007, Simplício já repassou mais de R$ 14,5 milhões para os municípios abrangidos pela obra: Sapucaia,Três Rios (RJ), Além Paraíba e Chiador (MG). E quando entrar em operação, a usina continuará contribuindo para a receita das cidades pelo recolhimento da Compensação Financeira pela Utilização dos Recursos Hídricos (CFURH), o royalty da água, que também é repassado para estados e órgãos da União.

Considerando o valor de R$ 62,33 por MWh da Tarifa Atualizada de Referência (T.A.R.) para 2009, cada município receberia, hoje, as seguintes quantias: Além Paraíba, R$ 498,56 mil; Chiador, R$ 1,2 milhão; Sapucaia, R$ 32,05 mil; e Três Rios, R$ 991,78 mil. Além desses valores, os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro ainda receberiam, juntos, R$ 2.818,65 milhões.

Usina Hidrelétrica de Simplício – Dados gerais

O AHE Simplício é composto por duas usinas (Anta e Simplício) com uma barragem de concreto, duas casas de força, um vertedouro e uma série de canais, túneis, diques e reservatórios. Trata-se de um projeto de engenharia único na história de FURNAS, pois o empreendimento se distribui ao longo de cerca de 30 km.

Em janeiro de 2007, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) concedeu Licença de Instalação a FURNAS, permitindo o início das obras e respectivos programas ambientais associados. Para realizar a construção do empreendimento, foi contratado o Consórcio Construtor Simplício (CCS), formado pelas empresas Norberto Odebrecht e Andrade Gutierrez. Já o fornecimento e a montagem dos equipamentos eletromecânicos serão realizados pelo Consórcio Fornecedor Simplício (CFS), integrado pelas empresas Impsa e Inverall. Com a Engevix Engenharia S/A estão o desenvolvimento dos projetos básico de engenharia, básico ambiental e executivo de engenharia.

Localização rio Paraíba do Sul (RJ)
Potência 333,7 MW
Empregos 14 mil diretos e indiretos
Data estimada para geração Dezembro 2010 (1ª unidade)
Investimento R$ 2,2 bilhão
Número de turbinas 5
Extensão das obras 30 km
Capacidade de geração 2ª maior do Estado do Rio de Janeiro
Acréscimo na capacidade de oferta de energia hídrica no estado do Rio de Janeiro 28%
Reflorestamento 1.200 hectares, quatro vezes mais do que a vegetação que foi suprimida

Programa ambientais e fundiários

FURNAS já está desenvolvendo parte dos 38 programas e subprogramas previstos no Projeto Básico Ambiental (PBA). Algumas destas ações são o monitoramento e resgate da fauna, o monitoramento da ictiofauna (peixes, moluscos e plâncton), a conservação da flora e recomposição da vegetação (1.200 hectares serão reflorestados, contra 300 que terão sua vegetação suprimida), a recuperação de áreas degradadas e a recuperação do patrimônio arqueológico.

Como em todos os empreendimentos em que está à frente, FURNAS segue um padrão de procedimentos para liberar as áreas necessárias à instalação do canteiro de obras, vias de acesso, áreas de empréstimo, bota-fora, reservatório e relocação de estradas. As indenizações são pagas em dinheiro aos proprietários (terras, culturas e construções) e na forma de compensação social – processos de autorrelocação e de reassentamentos monitorados – a populações desamparadas.

 No AHE Simplício, a área total a ser desapropriada é de 2.900 hectares, considerando áreas inundadas e área de preservação permanente (APP). A população que será remanejada é de cerca de 140 famílias, no estado do Rio de Janeiro, e de 60, em Minas Gerais.

(Editado por Luiz Blumer – Fonte Internet – Para ver fotos e mapas, clicar em http://www.furnas.com.br/negocios_novos_projetos_14.asp )

About these ads

1 Response to "Usina Hidrelétrica de Simplício"

[...] Usina Hidrelétrica de Simplício novembro, 2009 4 [...]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 811 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: